quarta-feira, 30 de agosto de 2017

I Encontro de Biólogos - IFBA Porto Seguro

Olá Pessoal

É com grande satisfação que convidamos a comunidade acadêmica e interessados para o I Encontro de Biólogos do IFBA:


O I Encontro de Biólogos promovido pelo IFBA PORTO SEGURO ocorrerá na próxima sexta-feira, as 13:30h, na sala 45. O objetivo do evento é promover um encontro de Biólogos da região que atuam nas mais diferentes áreas da Biologia, e proporcionar ao público (estudantes de uma maneira geral) conhecer as diversas possibilidades desta formação.


Prof. Cristiane Tessmann

As inscrições podem ser feitas através do link abaixo:

IEB - Inscrições AQUI




Saudações Interculturais

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Voos na Sabedoria - TCC Cristiane Oliveira

No dia 23 de junho de 2017 aconteceu, na Escola Indígena de Coroa Vermelha, a defesa do Trabalho de Conclusão de Curso de Cristiane Maria de Oliveira. A temática defendida foi sobre o ensino da língua Patxohã. A discente trouxe metodologias próprias da comunidade Pataxó e mostrou como elas podem contribuir para construir processos significativos de aprendizagens para a revitalização da língua. 
O título do trabalho foi Voos na Sabedoria: o ensino do Patxohã na Escola Estadual Indígena Kijetxawê Zabelê.
A banca elogiou bastante o trabalho e reconheceu a importância deste estudo, colocando que ele irá contribuir para que a revitalização linguística proposta pelo grupo realmente aconteça.
Também elogiaram a postura da discente, afirmando que ela conseguiu unir o saber tradicional ao conhecimento adquirido durante o curso.
A banca foi composta pelo orientador do trabalho, o professor Francisco Vanderlei F. da Costa, pelo professor Indígena Pataxó Gilson de Matos Soares e pelo professor Paulo de Tássio B. da Silva. 
 


 
Francisco Vanderlei Ferreira da Costa
Professor Doutor 
Instituto Federal da Bahia - IFBA





sábado, 17 de junho de 2017

Raridade: Índios Bororos filmados em 1916


 
(Sem áudio)

Em tempos de cinema mudo, o Major Luiz Thomaz Reis atendeu à solicitação do Marechal Rondon filmando um ritual indígena em 1916. 
Era um grupo de 350 índios da etnia Bororo que viviam em uma aldeia às margens do Rio São Lourenço em Mato Grosso. Para isso, Reis utilizou câmeras compradas na França, diretamente dos irmãos Lumière (inventores do cinematógrafo).
O filme intitulado Rituais e festas Bororo foi projetado pela primeira vez no Brasil em 1917,  vinte e dois anos após a primeira exibição cinematográfica mundial feita pelos Lumière em Paris no final de 1895. 
De acordo com Cristina Queiroz da revista Pesquisa FAPESP, o filme é dividido em três partes, que mostram diversas atividades relacionadas ao ritual funerário de uma mulher bororo, entre elas: uma expedição de pesca; a simulação da caça de um jaguar e danças que os índios realizam com vestimentas tradicionais. Culmina com uma sequência que mostra o corpo da mulher morta enrolado em uma esteira, sendo enterrado em seguida em uma sepultura rasa.
Na época não se utilizava o termo “documentário”, mas hoje os pesquisadores propõem que este seja considerado o primeiro documentário etnográfico, com um grau de complexidade inesperado para o período, principalmente por sua sequência narrativa.

Vale a pena conferir o vídeo (acima) e o artigo que detalha esse tema em:

Saudações Interculturais!

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Defesa de TCC - Dinair Pereira

Para o povo Pataxó, a Amescla é sagrada. Sua resina perfuma os rituais, além de ser amplamente utilizada como planta medicinal. 
É com o fruto da pesquisa sobre essa árvore, que nossa querida formanda Dinair Pires Pereira da Silva da aldeia Boca da Mata, apresenta o seu trabalho de conclusão de curso: Saberes Indígenas: Significados e representações acerca da resina da Amescla, sob a orientação do Professor Bartolo Elias B. Barrios. 
A defesa aconteceu no dia 07 de junho de 2017 com a participação de  Professor João Rodolfo Silva Pinheiro  e do Professor Josenildo Silva Pinheiro como membros da banca. Estavam também presentes o coordenador do Curso, Professor Edson Machado, os professores Carla Camuso, Francisco Costa e seu monitor do Programa de Educação Tutorial - PET Conexões Saberes, Albert Araujo.


Dinair é a terceira concluinte da área Ciências da Natureza e Matemática da Licenciatura Intercultural e apresenta de forma bem clara a importância do tema para o seu povo e sobretudo para sua aldeia, pois constatou que os mais jovens precisam ter mais contato com a sabedoria dos mais velhos principalmente com relação a utilização da natureza para cura. Ela lembra que os costumes modernos estão favorecendo a redução desses conhecimentos e afirma que seu trabalho retornará como material didático a ser utilizado nas escolas indígenas da região. 
Os membros da banca ratificaram a relevância do estudo e o Professor Bartolo Barrios, engenheiro agrícola, se emociona ao final da apresentação agradecendo a oportunidade de ter trabalhado com a discente, salientando o quanto foi produtivo também para ele.


Parabenizamos a discente e seu orientador pelo belíssimo trabalho desenvolvido.
AWERY !!!



quarta-feira, 3 de maio de 2017

Defesa de TCC - Vilma Matos e Cosme Alves

Dessa vez a defesa foi em dose dupla e em grande estilo: 
Vilma Matos (Pataxó - Coroa Vermelha) da área de Códigos, Linguagens e suas Tecnologias e Cosme Alves (Pataxó - Boca da Mata), da área de Ciências da Natureza e Matemática. Ambos sob a orientação da Professora Kátia Silva Santos fizeram suas apresentações de TCC na Escola Indígena Pataxó de Coroa Vermelha na manhã de sábado - dia 29 de abril de 2017. 

Houve uma participação expressiva da comunidade escolar indígena e familiares dos estudantes, além da presença do diretor geral do IFBA Ricardo Cunha e sua esposa, professoras da Licenciatura Intercultural Ana Cristina e Carla Camuso, além de diversos colegas que os acompanharam desde os seus primeiros momentos no curso. 


Cosme iniciou a manhã de defesas com um belo trabalho intitulado: "Os Jogos e o Ensino da Matemática na Escola Indígena Pataxó de Boca da Mata", uma pesquisa-ação que além de entrevistas e estudos bibliográficos foram desenvolvidas atividades práticas em sala de aula. Como resultado de sua observação participativa ficou demonstrado o quão benéfico é a utilização de jogos para o aprendizado, desde que sejam bem concebidos e aplicados adequadamente. Concluiu ainda que ao se utilizar esse recurso didático na matemática, há um maior interesse dos alunos com relação ao conteúdo proposto. 



Em seguida, Vilma apresenta sua pesquisa com um tema bem pertinente para o contexto da formação indígena: "Um olhar sobre a Gestão Escolar Indígena: Memória sobre o protagonismo, os dilemas e as construções"


A concluinte faz um relato detalhado sobre a Escola Pataxó de Coroa Vermelha desde o seu surgimento, quando a escola tinha apenas uma salinha e uma professora não indígena, até os dias de hoje que conta com uma estrutura considerada modelo para a Educação Escolar Indígena, tendo inclusive todos os professores indígenas com nível superior ou em formação. O trabalho, segundo comentários da banca, foi feito com simplicidade e maestria tornando o texto agradável e esclarecedor.  Apontar todos os desafios encontrados na trajetória da escola foi um ponto considerado bem relevante, inclusive porque reflete a sua própria experiência de gestão da escola por quatro anos. A apresentação da discente teve momentos de intensa emoção, mostrando o quão importante foi trazer essa memória a tona e poder compartilhá-la com seus amigos e familiares.

Finalmente, a aprovação unânime e com ótimas notas para ambos foi algo que era esperado, de acordo com o comentário final da orientadora Prof Kátia ao ler as atas de defesa. Ressaltamos e agradecemos também a participação das Professoras Luciene Lima e Polliana Cruz que já atuaram na LINTER e fizeram parte da banca avaliadora, assim como o atual diretor da Escola Indígena de Coroa Vermelha, Gilson Matos. 


Congratulamos os discentes e a Prof. orientadora Kátia Santos pelo brilhante trabalho e aguardaremos ansiosos para desfrutar dessas leituras, que brevemente estarão disponibilizadas em uma de nossas páginas. 


AWERY !!!!!!


quarta-feira, 26 de abril de 2017

Defesa de TCC - Marconis Ponçada


É com grande orgulho que noticiamos a defesa do Trabalho de Conclusão de Curso de Marconis Ponçada Santana, concluinte da Licenciatura Intercultural Indígena na área de Ciências da Natureza e Matemática, ocorrida no dia 25 de abril de 2017, no IFBA - Campus Porto Seguro.




Seu trabalho de pesquisa intitulado: “EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA INDÍGENA PATAXÓ DA ALDEIA DE BOCA DA MATA: CONTRIBUIÇÔES DOCENTES", foi avaliado por Robério Pinto Azevedo Júnior e Ronaldo Ramos de Souza, ambos professores da Escola Indígena Pataxó de Boca da Mata, além da sua orientadora e Presidente da Banca, Professora Cristiane Tessmann  (IFBA).





Após a apresentação da pesquisa e arguição da banca examinadora, Marconis foi APROVADO por decisão unânime.
Felicitamos o discente Marconis por essa grande conquista, a aldeia Pataxó Boca da Mata que terá mais um excelente profissional de nível superior e a Professora Cristiane Tessmann por seu empenho e dedicação junto ao seu orientando, no decorrer dessa belíssima tarefa de formar professores indígenas garantindo a qualidade de ensino nas escolas indígenas e o respeito à tradição Pataxó.


AWERY !!!!!








quarta-feira, 5 de abril de 2017

Jogos Indígenas 2017

CONVITE


Respeitosamente, temos a honra de convidar as escolas municipais, estaduais, particulares, professores, diretores, coordenadores, pesquisadores, estudantes, jornalistas, fotógrafos, e toda sociedade da região para participar da IX Edição dos Jogos Indígenas Pataxó, o qual acontecerá nos dias 19 a 23 de Abril de 2017, na Arena Boca da Barra, em Porto Seguro/BA. 
Um momento importantíssimo para os povos indígenas da região onde reuniremos cerca de 800 atletas com 04 etnias convidadas de outros estados (Kayapó-PA, Krenak-MG, Funio-ô-PE e Tupiniquim-ES). O evento contará com diversas programações culturais e esportivas e já faz parte do calendário do “Abril Indígena” do município e do estado. 
Esse ano, os Jogos Pataxó será realizado em parceria com a V Jornada de Agroecologia da Bahia que terá feira de artesanato indígena e artesanato da região. 

A abertura será no dia 19/04 às 18 horas, na Arena Boca da Barra (Orla Norte de Porto Seguro).

 Atenciosamente,

Juari Braz Bomfim
Superintendente Indígena - P. Seguro 



segunda-feira, 3 de abril de 2017

Video-aula Saberes Indígenas com Edson Kayapó

Video gravado e editado por Arissana Pataxó, durante a I Formação de Professores Orientadores para o PROGRAMA SABERES INDÍGENAS NA ESCOLA - 2017, envolvendo as comunidades indígenas Pataxó, Pataxó Hãhãhãe e Tupinambá.
O Professor Edson Kayapó traz uma reflexão sobre o tema Interculturalidade e Interdisciplinaridade não só na Educação Escolar Indígena e Licenciaturas Interculturais como na educação em geral.



Vale a pena conferir
Saudações interculturais !!

segunda-feira, 20 de março de 2017

Linter Conceito 4,0 - MEC


A Licenciatura Intercultural Indígena (LINTER) recebeu entre os dias 8 e 11 do mês de março a visita do Ministério da Educação (MEC) para o reconhecimento do curso. E é com grande alegria e sensação de dever cumprido que informamos que nosso curso foi avaliado com nota 4,0 em uma escala que varia de 1,0 a 5,0 .
Podemos afirmar que foi uma grande vitória para os estudantes indígenas e para os docentes da Instituição que abraçaram a causa com afinco e dedicação, proporcionando uma troca de conhecimento e consequente crescimento intercultural para ambos.

O que significa essa avaliação?
A visita para reconhecimento de curso é destinada aos cursos superiores a partir do cumprimento de 50% da integralização da primeira turma. Dentre os critérios de avaliação estão:
·       Projeto pedagógico;
·       Qualificação do corpo docente;
·       Instalações físicas;
·       Responsabilidade social;
·       Satisfação dos alunos;
·      Gestão da instituição, entre outros.
   Mas é claro que não podemos parar por aí. É necessário um esforço maior da Instituição como um todo, para que possamos atingir o grau máximo de excelência. Posteriormente, ocorrerão novas visitas para renovação do reconhecimento e a partir dessas avaliações será possível desenvolver novas ações visando o contínuo aperfeiçoamento do curso.
Enfim, ao cumprirmos essa primeira etapa, uniremos nossas forças para que as comunidades indígenas possam ter cada vez mais profissionais que continuem valorizando os saberes de sua cultura e paralelamente obtenham os conhecimentos necessários da cultura geral para o fortalecimento de suas lutas e para ocuparem os espaços que lhes foram negados por muito tempo. 
Parabéns Pataxó, Pataxó hãhãhãe e Tupinambá ... Essa vitória é nossa !

 














Saudações Interculturais

sexta-feira, 10 de março de 2017

Inscrições para ENEI 2017



Atenção Discentes LINTER !

Não percam a oportunidade de inscrever seus trabalhos no V Encontro Nacional de Estudantes Indígenas - ENEI Bahia 2017. Será muito importante para vocês fazerem parte desse encontro cujo protagonismo indígena realmente é respeitado. 


Precisamos divulgar os belos trabalhos que estão sendo produzidos nas diferentes áreas do conhecimento acadêmico, além de abrir a oportunidade para as  trocas de saberes e experiências entre os estudantes indígenas.

O edital de inscrição está disponível no site oficial do evento:

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

COMUNICADO AOS DISCENTES - turma 2010

Prezados acadêmicos

Solicitamos aos que ainda não encaminharam o TCC com seu orientador que entrem em contato urgente. O prazo total para a integralização do curso termina em julho do ano corrente. Em função deste pouco tempo, as defesas ocorrerão no IFBA - campus Porto Seguro.

Atentem também para o fato de que:

  1. muitos estudantes ainda não fecharam a carga horária do AACC. Esse fechamento é fundamental para a conclusão do curso.
  2. muitos estudantes ainda apresentam pendências na entrega de documentos na cores, informação dada desde o sétimo período.

Atenciosamente,
Equipe LINTER


domingo, 1 de janeiro de 2017

Pimenta Jiquitaia Baniwa

Pote de 35 ml

A pimenta Jiquitaia, produzida pelas mulheres Baniwa, faz parte de um sistema agrícola indígena do rio negro, tombado como patrimônio cultural do Brasil. 
Os Baniwa vivem ao noroeste do Amazonas, na Terra Indígena Alto Rio Negro, entre Brasil, Colômbia e Venezuela.
O nome Jiquitaia vem de uma formiga cuja picada é bastante ardente.
O povo Baniwa, com auxilio do Instituto Sócio Ambiental – ISA, produz a pimenta em pó a partir de 74 tipos da espécie Capsicum frutenscens, secadas, moídas e com a adição de 10% de sal .
O sabor é extremamente forte e tem sido utilizadas por chefs da culinária internacional.
O detalhe é que o fato de ser uma produção artesanal, os potinhos produzidos são diferentes já que toda índia Baniwa tem um jeito próprio de prepará-la aprendido com a mãe e avó.
Cada porção vem identificada por um código no rótulo, que indica a comunidade, o lote e a data que foi embalada, tornando uma criação personalizada.
De acordo com o site do Instituto Socioambiental  - ISA, as pimentas têm um poder de melhorar a saúde e bem estar das pessoas. Dentre os benefícios estão: redução de doenças cardiovasculares, potencial antioxidante, propriedades anticancerígenas, ação analgésica, antinflamatória, antidepressiva e o melhor de tudo, acelera o metabolismo auxiliando o processo de emagrecimento. Para saber mais sobre esse assunto - CLIQUE AQUI
Em Porto Seguro, temos alguns potes para venda.  Caso tenha interesse em adquirir entre em contato conosco pelo formulário a direita desta página ou no whatsapp: (73) 99930-8060.

Caso queira saber outros postos de venda, entre em: 
Pimenta Baniwa 
Outras informações:
A pimenta é nossa - Lucília Diniz

Saudações interculturais
Carla Camuso